Sincronicidade

Um toque de magia no ar
15 de julho de 2015

Coincidência? Sincronicidade? Quem nunca passou pela experiência estranha de pensar em alguém que há tempos não vê e de repente essa pessoa liga para você ou a encontra na rua, ou alguém fala dela?

Mais incrível do que isso é a comunicação instantânea entre os pássaros, ou um cardume de peixes. Como eles voam em bandos, mudando de direção aleatoriamente e não se chocam? O mesmo ocorre com um cardume de peixes. Eles oferecem um exemplo notável de sincronismo na natureza.

O cientista Rupert Sheldrake realizou algumas pesquisas que parecem envolver um tipo estranho de comunicação entre cães e seus donos. Os cães parecem saber exatamente quando seu dono está vindo para casa. Mesmo quando ele muda os horários.

Como se processa essa comunicação? Jung foi um dos primeiros estudiosos a usar o termo inconsciente coletivo é o DNA da raça humana, um repositório psíquico de nossa história como espécie.

Em um nível mais profundo nossas mentes e cérebros se encontram em comunhão intima com o Universo. Uma existência que Deepak Chopra chama de esfera-não-local e é composto pela inteligência que organiza a “sopa de energia”, na qual estamos todos mergulhados. Em outras palavras, é como se vivêssemos em uma imensa travessa de gelatina. O menor movimento, o menor evento, dentro desse meio é sentido pela travessa inteira. Assim, dentro desta “sopa de energia” podemos obter lampejos de informações sobre as mentes de outras pessoas, objetos distantes, futuro, passado.

Quando, aos 15 anos “sabia” que meu irmão mais velho morreria, o que de fato aconteceu 2 anos depois (livro “A outra dimensão – Sirley Gonzalez”). Eu sabia, não com a minha mente, com o meu cérebro racional, era como se essa informação estivesse ali, mas ninguém “lia”. Essas informações não são captadas meio dos sentidos nem tampouco porque sinais dessas outras mentes viajem até nosso cérebro. “Nós os registramos porque algum nível de nosso continuo mente/ cérebro já coexistem com as mentes de outras pessoas”. Dean Radin.

Aqui entra o “entrelaçamento”, ou seja, sistemas separados são correlacionados.

Como diz Deepak Chopra “Nas esferas mais profundas somos todos membros do mesmo corpo e quando e quando uma das partes do corpo se move todas as outras são instantaneamente afetadas”.

Os cientistas propõem um nível de existência chamada hiperespaço octadimensional de Minkowski. Nessa dimensão matematicamente concebida, a distância entre dois eventos, por mais separados que possam parecer no espaço – tempo é sempre zero. “Isto sugere mais uma vez uma dimensão da existência na qual estamos todos inseparavelmente unidos” Chopra.

A separação pode ser apenas uma ilusão. E o amor tem o poder de começar a eliminar essa ilusão.

Uma experiência de pensamento conhecida como o paradoxo Einstein – Padolsky – Rosem: Duas ondas – partículas idênticas lançadas em direções opostas, sabem a localização da onda partícula A (e, portanto, fazê-la sucumbir a uma partícula) simultaneamente nos diz a localização da onda – partícula B, o que também a faz sucumbir em uma partícula.

O fato de a observação da onda – partícula A afetar a onda – partícula B significa que está ocorrendo alguma conexão ou comunicação não-local na qual estão sendo trocadas informações a uma velocidade maior que a da luz, sem troca de energia.

Quando criamos uma imagem mental, temos uma intenção, e somamos emoção, eis que criamos esta realidade. Quando fazemos isso influenciamos também outras realidades, este é o significado da comunicação não-local.

Experiência de Cleve Baxter: estudando leucócitos ele os isolou e centrifugou com a sua saliva, a seguir colocou-os em um tubo de ensaio e inseriu fios de eletrodos de ouro conectados a aparelhos semelhantes a eletroencefalógrafos. De repente, ele teve a ideia de ferir a mão para ver se isso afetaria, os seus leucócitos. Ele foi pegar um bisturi e quando voltou, deu uma olhada no gráfico percebendo que ele já tinha registrado uma intensa atividade enquanto buscava o bisturi. Em outras palavras, os leucócitos estavam reagindo à intenção de Baxter de cortar a mão, antes de fazer o corte. Pesquisas desse gênero também foram feitas com pessoas e os resultados foram idênticos.

Novamente citando Chopra, “Esses resultados só podem ser explicados pela correlação não local, o nível do espirito que conecta, organiza e sincroniza todas as coisas. Esse campo ilimitado de inteligência ou consciência esta em todas as coisas, manifestando-se em tudo”.

A natureza é sabia e nos mostra a todo o momento essa comunicação. A sincronicidade dos animais que percebem com antecedência um terremoto ou tsunami. Ou a comunicação instantânea dos bandos ou cardumes. Seres que estão em completa sintonia com o ambiente e uns com os outros, que dançam ao ritmo do universo.

Os níveis alto de emoções, compaixão, serenidade, tranquilidade, perdão, gentileza ou meditação são os canais para entrar em contato com essa comunicação não local e entender a sincronicidade.

Sirley Gonzalez